Fecha
Ecologia

Maranhão de olho nos crimes ambientais

 

O Maranhão marca presença na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio +20, com uma das maiores comitivas nacionais. Ao todo115 pessoas fazem parte do grupo maranhense organizado pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA).

 

Sabiam que uma das ferramentas em defesa do meio ambiente mais interessantes lançadas na Rio +20 partiu do Maranhão.Verdade. Trata-se do OSM (Olhos sobre o Maranhão).

Um aplicativo pioneiro criado para smartphones que permite fotografar crimes ambientais e enviar a foto digital do delito diretamente para o departamento de fiscalização da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA).

No órgão ambiental a denúncia será triada e permitirá que os fiscais cheguem mais rapidamente ao local onde foram praticados os delitos ambientais. Isso porque a foto ao ser feita gera uma espécie de mapa com a longitude a latitude do local onde foi visualizado o crime ambiental.

Quando a fiscalização da denúncia não for da competência administrativa da SEMA a secretaria a encaminhará para o órgão que tem esse dever.

Inicialmente esse aplicativo, pioneiro no país, no combate aos crimes ambientais, está disponível para smartphones. Foi inscrito primeiramente na plataforma IOS, o que permite que seja utilizado por pessoas que possuam iPhone e iPed,mas em breve será inscrito em outra plataforma.

Isso permitirá que mais cidadãos tenham acesso ao aplicativo e possam ajudar a denunciar os mais diversos tipos de crimes ambientais atuando também como fiscais da natureza.

O aplicativo dará mais agilidade à SEMA na hora de localizar os crimes ambientais e de mobilizar os fiscais. Para dar conta do aumento no número de denúncias que chegarão ao órgão, a partir da utilização desse aplicativo e, principalmente, fiscalizá-las, A SEMA já está se estruturando.

 

Também chamam à atenção do público na Rio+20 os planos de combate às queimadas, o plano de combate à desertificação e o Projeto “Potencialidade do Estado do Maranhão para a implantação de parques híbridos de energia eólica e solar desenvolvido pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), fruto de doze linhas de pesquisas, coordenado pelo professor pós doutor Hamilton Jesus Santos Almeida.

Tags : Rio+20