Fecha
SAÚDE

Hospital dos Servidores Estaduais (HSLZ) pronto para combater novo coronavírus

Há cerca de um mês que todas as equipes do HSLZ já foram conscientizadas em rodas de conversas internas, sobre medidas a serem adotadas para prevenir contágio do COVID-19. (fotos divulgação)

 

Enfrentar uma crise que implique no aumento exponencial de pacientes em órgãos de saúde sempre requer muita experiência e medidas eficazes previstas em plano de contingências. E pensando de forma preventiva, o Hospital dos Servidores (HSLZ) há cerca de um mês já conta com um plano próprio de contingências para enfrentamento de uma possível pandemia do novo coronavírus em São Luís.

As medidas foram elencadas para atender a diversas situações de surtos do COVID-19, mas até o momento não houve nenhum caso positivo de paciente positivo da doença, nem como da gripe Influenza H1N1.

Segundo a diretora de Enfermagem Beatriz Rosa todos os setores do HSLZ foram incluídos no plano de contingência, assim como colaboradores de diversos setores já participaram de reuniões no estilo “roda de conversas” com o objetivo de tirar dúvidas e detalhar todas as medidas do plano de forma transparente e objetiva. Essas ações foram desenvolvidas de forma conjunta pela direção geral do hospital, em parceria com a diretoria de enfermagem e pela CCIH / Comissão de Controle de Infecções Hospitalares do HSLZ; e deram atenção especial às rotinas do Pronto Socorro, onde geralmente acontece o primeiro contato com um paciente que venha estar infectado com o vírus.

“Estamos seguindo todas as recomendações do Ministério da Saúde, e indo além. Nosso plano de contingência prevê fluxos de trabalhos específicos e especiais para o atendimento de pacientes infectados com o coronavírus ou H1N1; visando não apenas a oferta de um tratamento eficaz, mas também a segurança do nosso corpo médico, colaboradores e demais pacientes. As ações incluem medidas diferenciadas de hotelaria; higienização e limpeza assim como a destinação de novas áreas para isolamento, caso venhamos a ter essa necessidade”, explicou Beatriz Rosa.

A enfermeira que tem experiências profissionais em outros hospitais de referência no país no trato de infecções, a exemplo do Hospital Albert Einstein (SP), tranquilizou as equipes do HSLZ ao informar as medidas preventivas antecipadas tomadas pela Direção. Planejamento é tudo quando se trata do enfrentamento de casos de crises como uma pandemia, reforçou ela.

A diretoria do HSLZ coordenou equipes multidisciplinares na elaboração do plano de contingência do hospital a ser adotado em caso de epidemia de COVID-19 entre seus pacientes.

Segundo a diretora de Enfermagem do HSLZ, já foram providenciadas desde medidas simples e básicas como compras extras de materiais de limpeza, máscaras e equipamentos de proteção individuais (EPI´s) para a equipe de médicos e enfermeiros; além da previsão de medidas extremas a serem executadas em casos de pandemia, como a suspensão das demais cirurgias eletivas, ampliação de leitos em áreas de isolamento, além de outras ações internas para otimizar o atendimento aos servidores do estado infectados na sede do HSLZ.

“Até casos extremos como concessão de horas extras e novas contratações estão previstas no nosso plano de contingência, mas até esse momento não houve necessidade de colocar em prática nenhuma medida prevista”, garantiu ela.

Aos servidores estaduais que são atendidos pelo HSLZ, o hospital reforça a orientação de que, em caso de algum sintoma suspeito, procurar o hospital já usando máscara para evitar a contaminação de outras pessoas no entorno até a chegada ao hospital. Nesse momento, o mais recomendado a toda a população em geral é ter bom senso e evitar exposições e aglomerações desnecessárias, evitar viagens e redobrar cuidados básicos de higiene, como lavar as mãos e usar álcool gel, evitando tocar diretamente em corrimões e maçanetas de locais públicos (se for o caso, usar um lenço de papel para manusear maçanetas), além de manter distância média de 2m entre outras pessoas e evitar ambientes fechados.

Dados da OMS

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde e do Ministério da Saúde, os grupos de risco do coronavírus englobam pessoas imunodeprimidas como pacientes em tratamento oncológico e idosos, além de crianças, grávidas, pacientes cardíacos e diabéticos.

Beatriz Rosa lembrou ainda que, para manter a saúde e a imunidade em alta, deve-se atentar para a qualidade da alimentação e evitar regimes nesse momento de crise:

“Somos o que comemos, e nada como estar ingerindo alimentos ricos como frutas, vegetais, fibras e evitar fazer regimes nesse momento, pois toda dieta leva ao enfraquecimento do organismo, o que em casos de pandemia é extremamente perigoso”, alertou a diretora de enfermagem do HSLZ.

Para o diretor geral do HSLZ, administrador Plínio Valério Tuzzolo todas as medidas de planejamento foram desenvolvidas com o apoio de equipes multidisciplinares do hospital:

“Procuramos integrar nossas equipes do HSLZ para criarmos um plano abrangente, e que possa proteger os nossos profissionais assim como os pacientes e seus acompanhantes em caso de uma epidemia local. Já reforçamos estoques de insumos necessários e temos um plano de ampliação imediata de áreas de isolamento, gradativamente, caso venhamos a ter algum caso entre nossos pacientes servidores estaduais”, disse Tuzzolo.

Ele lembrou que o enfretamento da doença no Maranhão será também proporcional ao engajamento individual de cada maranhense nesse momento de prevenção:

“Todos precisamos ter calma nesse momento, mas procurar estar bem informados, não seguindo fake news, e sim buscar como fontes os veículos oficiais de comunicação e órgãos como o Ministério de Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde. Redobrar a higiene pessoal e evitar contatos próximos assim como beijos e abraços, além de evitar aglomerações e eventos sociais. Quem apresentar sintomas gripais deve ser responsável, buscar logo atendimento para preservar seus familiares e o resto da população”, lembrou o Diretor do HSLZ. 

Tags : Hospital SLZ