Fecha
DESENVOLVIMENTO

Debates da Seinc ajudam o Maranhão a ter menos demissões em maio

O secretário de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), está sendo  o interlocutor com a classe empresarial nesta pandemia (Foto: Divulgação)

 

Os debates da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), lideradas pelo secretário Simplício Araújo, ajudaram o Maranhão a ser o estado com menos demissão na região Nordeste no mês de maio, com um saldo de 1.238 postos de trabalhos desativados. Os dados foram atualizados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e divulgados na segunda-feira, 29.

O saldo de 1.238 demonstra uma melhora em comparação com o mês de abril, quando o Maranhão apresentou 5.983 postos de trabalho desativados. O Nordeste foi a terceira região a criar mais admissões, com 85.853 e o Maranhão ficou com a quarta colocação, com 8.862 admissões na região.

Segundo Simplício Araújo, isso mostra que o Maranhão conseguiu uma recuperação expressiva, apesar da crise que se desdobrou com a pandemia do novo coronavírus.

“De abril para maio o Maranhão teve uma queda de mais de 70% nas demissões. Para estimular esse resultado, junto às outras frentes de trabalho definidas pelo governador Flávio Dino, a Seinc tem mantido um amplo diálogo com entidades e com a classe empresarial, buscando maneiras conjuntas para minimizar os impactos sociais e econômicos da pandemia na vida dos maranhenses, o que reflete, sem dúvida, na manutenção de emprego e renda”, explicou o secretário.

Outras ações da Seinc que contribuem para rechaçar as demissões e são extensões dos debates com empresários incluem a política de atração de investimentos aliada à implementação de segurança jurídica, ambiente favorável aos negócios, incentivos fiscais e acompanhamento no funcionamento e operação dos empreendimentos, que se instalam demandando mão de obra maranhense.

Cenário nacional

O mês de maio teve uma retração com -331.901 postos de trabalho no saldo de empregos com carteira assinada no país. No mês, houve 703.921 admissões e 1.035.822 desligamentos. Com o resultado, o acumulado do ano chegou a -1.144.875 postos formais de trabalho. (Fonte Governo do Estado)

Tags : capa