Fecha
LITERATURA

Daniel Blume é eleito para o PEN Clube do Brasil e lança “Resposta ao Terno” em Portugal

Escritor autografa livro “Resposta ao terno” – detalhe ao lado – lançado ontem no Café Martinho da Arcada, em Lisboa, Portugal.

 

Sobe cada vez mais a estrela do advogado e escritor maranhense Daniel Blume Pereira de Almeida, no cenário da literatura local, nacional e internacional. O ilustre advogado (que está em Portugal para prosseguir o seu mestrado), acaba de ser eleito para o quadro de membros efetivos do PEN Clube do Brasil, por meio de indicação dos escritores maranhenses José Sarney (ABL) e Ana Luiza Almeida Ferro (AML), onde deverá tomar posse assim que chegar ao Brasil.

A sugestão foi aprovada pelos integrantes do octagenário sodalício literário, a exemplo de Nélida Pinõn, Paulo Coelho, Carlos Nejar, Arnaldo Niskier e Jô Soares.

O PEN Clube do Brasil, fundado na cidade do Rio de Janeiro no dia 2 de abril de 1936, para quem não sabe, é uma organização de escritores empenhada na defesa da liberdade de expressão e nos direitos e valores humanistas.

Nesta quarta-feira, 11, no Café Martinho da Arcada, Praça do Comércio, em Lisboa, Blume lançou a sua mais recente obra “Resposta ao Terno”, que também recebeu os aplausos do escritor português Artur Anselmo, presidente da Academia das Ciências de Lisboa, instituição portuguesa equivalente a Academia Brasileira de Letras, a quem presenteou um exemplar do livro no início desta semana.

Também procurador do Estado, membro efetivo do Instituto dos Advogados Brasileiros e titular da cadeira de número 15, na Academia Ludovicense de Letras, Blume em “Resposta ao Terno” (que levou três anos para ser concluído e reúne 124 poemas, divididos em 202 páginas), tenta explicar o que, às vezes, não tem resposta. No final de junho, o escritor maranhense também deu mais um motivo de orgulho para o Maranhão, tomando posse como titular da cadeira de nº 67 da Academia Internacional de Cultura (AIC), em Brasília (DF), passando a integrar essa importante instituição cultural da qual o escritor maranhense Ferreira Gullar é patrono.

 

Tags : Daniel Blume