Fecha
Turismo

Casa da Farinha, em Tapuio, é um dos mais apreciados passeios dos Lençóis Maranhenses

Do passeio, é possível apreciar o cotidiano dos nativos de Tapuio cujo maior meio de transporte são os barcos. Num deles, o Nova York, embarcamos numa animada balada, com muita mordomia e paisagens deslumbrantes para chegar até a Casa da Farinha. (fotos divulgação)

 

Um dos passeios mais agradáveis e encantadores nos Lençóis Maranhenses (que o Blog do Ned recomenda), é uma visita a Casa da Farinha, no povoado Tapuio, na margem esquerda do Rio Preguiças, cujas “prainhas” são consideradas mais originais e apetitosas. Essa experiência inenarrável voltei a repetir agora na passagem de ano com um grupo de amigos de São Paulo, que estou anfitrionando no Maranhão. Foi do caramba.

Desta vez, para chegar até este destino de natureza exuberante, paradisíaco e muito acolhedor, nada de lanchas sofisticadas em velocidade máxima, preferimos uma embarcação à moda antiga, de madeira bruta e movida a motor a diesel, lá muito usada pelos turistas que visitam o apreciável povoado.

O barco navega cortando o volumoso rio na velocidade ideal para você curtir tranquilamente tudo que tem direito, entre mangues, buritizeiros e açaizeiros.

 

Ironicamente batizado de Nova York, o interessante barco oferece a bordo som eletrônico (onde é você quem comanda, conectando pen drive ou celular), cerveja gelada (pode levar na caixa térmica) e se preferir até churrasco, feito na proa da embarcação.

O piloto é um descendente de holandês de olhos claros, chamado Lucas, que por sua vez é filho de uma família numerosa, dos quais dois dos irmãos são donos dos melhores restaurantes da Casa da Farinha – Berg e Marão. Os restaurantes à beira do rio, claro, oferecem além do banho em águas cristalinas e belo visual, uma boa peixada, camarão frito, uma galinha caipira preparada na hora, entre outros pratos típicos da região.

Em Tapuio você pode ainda acompanhar o processo de “fabricação” da farinha, desde a retirada da mandioca da terra até a produção final: o momento de torrar a farinha no forno.

 

Detalhe: a técnica usada pelos nativos foi herdada de seus antepassados os índios Tapuios, os primeiros habitantes da região. Outro detalhe: o barco Nova York é um dos meios de transportes para chegar até Tapuio, mas muitas outras lanchas podem aportar por lá. Enfim, vale conferir.

O pôr do sol é assim em Tapuio: entre açaizeiros e buritizeiros. O aprazível Restaurante Marão, na Casa da Farinha, visto em dois ângulos e a “tripulação” do Nova York e seu irrecusável churrasco de enchova feito a bordo.
Eis aqui a embarcação Nova York, antes da última reforma, claro, com o autor da obra, Zequinha Davi, pai do piloto Lucas, tratando da “máquina”.
Tags : Lençóis Maranhenses

3 Comentários

  1. Conheci o Tapuio através de um querido amigo barqueiro de barreirinhas e realmente é um passeio maravilhoso, pessoas simples com um coração imenso e prazer em receber e servir, saudades deixaram em minhas memórias e quero voltar assim que possível.

  2. Aqui Berg da casa da Farinha agradeço de todo o Coração essa reportagem maravilhoso muito obrigado e sempre sera bem vindo aqui sempre que quiser vir apreciar dessas maravilhas de nosso Bom Deus…. aqui sempre cabe mais um……. …

Comments are closed.