Fecha
DESENVOLVIMENTO

As indústrias não podem parar, mas devem ter cautela”, diz Simplício Araújo

Para Simplício Araújo estão em pauta diversas indústrias e estabelecimentos importantes no Maranhão (Foto: Divulgação)

 

Em meio a crise causada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), as autoridades estão engajadas em adotar várias medidas preventivas contra a doença. No entanto, o secretário de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Simplício Araújo, observa a importância de manter o funcionamento cauteloso das indústrias maranhenses de forma equilibrada junto às mais diversas ações do poder público.

“O Maranhão deve estabelecer todo o suporte preventivo e seguro aos funcionários das indústrias locais, sem esquecer de manter a fabricação de produtos e oferecer serviços tão necessários para o Estado, por ainda ser muito dependente de produtos de outras unidades da federação. A preocupação é que se a indústria maranhense parar de funcionar agora, passamos a integralizar essa dependência”, justifica o secretário.
Simplício Araújo explica queÉ muito importante redobrar todos os cuidados e adotar alguns outros como forma de prevenir a contaminação dos operários e colaboradores para mantermos o ritmo produtivo do Estado seguro e ativo acima de tudo. Os proprietários devem potencializar a prevenção nesse momento”, destaca.

Para o secretário, estão em pauta diversas indústrias e estabelecimentos importantes no Maranhão. “Temos indústrias de material de limpeza e higiene, frigoríficos e curtumes que processam couro a partir do abate de bois. Além disso, contamos com a indústria da construção civil, que tem papel fundamental na retaguarda de obras importantes nos municípios e estados”, frisou.
Araújo cita, ainda, a importância da continuidade das obras de recuperação das casas de famílias atingidas pelas enchentes, causadas pelas fortes chuvas nas cidades de Pedreiras, Trizidela do Vale e Imperatriz recentemente.

Enchentes e coronavirus

Segundo o secretário, além disso, uma forma de contornar todos esses problemas causados pelas chuvas e pela propagação da pandemia do coronavírus é a união de esforços com empresários e entidades de classe. Recentemente, articulações da Seinc com vários grupos empresariais garantiram uma série de doações feitas pelos empresários em apoio à rede pública de saúde e também às famílias prejudicadas pelas chuvas. “Esse momento de pandemia do novo coronavírus e de enchentes, é um momento em que todos nós precisamos estar unidos”, classifica Simplício Araújo.
Doações para desabrigados
O Governo do Maranhão, por meio da Seinc, vai receber cerca de 500 colchões e travesseiros doados pela empresa Novo Mundo ao Governo do Maranhão, por meio da Seinc, que serão destinados às famílias desabrigadas em decorrência das chuvas nos municípios de Pedreiras e Trizidela do Vale.
Doações de mais de R$ 8 milhões para a saúde
A Seinc por meio de tratativas com as empresas, conseguiu mais de R$ 8 milhões em arrecadação e doações para a aquisição de aparelhos de ventilação pulmonar e respiração assistida e em soluções de álcool 70 – cerca de 500 mil litros, em gel e máscaras médicas. Medidas para ajudar no tratamento, prevenção e combate ao Covid-19.

Tags : Simplício Araújo